Sobre as Pesquisadoras e Pesquisadores

Líder do grupo:

Luciana Eleonora de Freitas Calado Deplagne​

Doutora em Teoria da Literatura pela UFPE, com estágio doutoral na Université Blaise-Pascal – Clermont-Ferrand/França. Tem Pós-Doutorado pela Universidade Nova de Lisboa e na Université de Poitiers. É professora do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da UFPB. No Programa de Pós Graduação em Letras/UFPB, atua em duas linhas de pesquisa: “Estudos Clássicos e Medievais” e “Estudos Decoloniais e Feministas”. É do GT da ANPOLL, Mulher e Literatura, e da Associação Brasileira de Estudos Medievais (ABREM). É uma das editoras da Revista Ártemis (Revista interdisciplinar de divulgação de Estudos de Gênero, Feminismos e Sexualidades) e coordenadora dos projetos de extensão na UFPB: “Mulheres em cena: protagonismo das mulhers da cultura popular” e “Chá da tarde no jardim de Hildegarda: saberes ancestrais em debate no NUPPO”. É autora, dentre outras publicações, da tradução do livro A Cidade das Damas, de Christine de Pizan, publicada em 2012, pela Editora Mulheres. Suas pesquisas têm foco em obras de autoria feminina, com perspectiva teórica na área da crítica feminista, da tradução literária, dos estudos sobre utopismos e dos estudos decoloniais. Atualmente desenvolve pesquisa pós-doutoral na Université de Poitiers.

Vice-líder do grupo:

Cláudia Brochado

Formada em História e em Letras Tradução-Alemão pela Universidade de Brasília, com doutorado em História Medieval pela Universidade de Barcelona e pós-doutorado no Centro de Pesquisa de Mulheres – DUODA, Universidade de Barcelona. Professora do Departamento de História da Universidade de Brasília. Suas pesquisas se concentram no campo da História das Mulheres, mais especificamente nos espaços de cultura feminina na Idade Média, com ênfase na literatura. Grupos de pesquisa: Christine de Pizan (CNPq-UFPB-UnB); Programa de Estudos Medievais (CNPq-PEM-UnB). Pesquisadora do “Duoda – Centro de Investigación de Mujeres. Universidad de Barcelona”.

Pesquisadoras e pesquisadores:

Ana Miriam Wuensch

É professora do Departamento de Filosofia e docente do PPG Bioética na Universidade de Brasília. Graduada em Filosofia com Especialização em Fenomenologia e Mestrado em Filosofia Política (Hannah Arendt). Doutora em Bioética pela Universidade de Brasília, com Pós-Doutorado em Bioética, Filosofia e Literatura (Centre of Medical Ethics, Oslo; e Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da UFPB). Tem interesse pelos modos de inclusão e exclusão da contribuição filosófica de pensadoras em diversas áreas, do conhecimento e da cultura, na formação universitária e escolar, bem como por modos contemporâneos de ler obras de mulheres medievais. Participante do Grupo de Pesquisa Christine de Pizan, e da Rede Brasileira de Mulheres na Filosofia. Co-autora do livro A moral do começo: sobre a ética do nascimento (Fi, 2019, e-book), escreveu com Angélica Sátiro o livro didático Pensando Melhor: iniciação ao filosofar (Saraiva, 1997). Publicou, entre outros, o artigo “O que Christine de Pizan nos faz pensar” <https://periodicos.ufpb.br/index.php/graphos/article/view/16315>, e o capítulo “Ensinando e aprendendo a Cidade das Damas desde a graduação”. <http://www.ccta.ufpb.br/editoraccta/contents/titulos/letras-1/traducao-transculturalidade-e-ensino-de-christine-de-pizan-a-contemporaneidade-volume-2> ORCID: https://orcid.org/0000-0003-1265-0871

Ria Lemaire

É holandesa, professora aposentada de literatura portuguesa e brasileira da Universidade de Poitiers, França, onde dirigiu o Centro de Estudos Latino-Americanos e o Acervo Raymond Cantel de literatura de cordel brasileira. Doutourada pela Universidade de Utrecht, Holanda, com uma tese sobre literatura medieval comparada. Especialista de literatura medieval em línguas românicas, coordenenou durante anos o programa de pesquisa intitulado ‘Estudos comparados em tradições orais na sua relação com o mundo da escrita’ que trabalha com questões de gênero, com a relação oralidade / escrita, história / literatura e literatura testemunhal. Durante esse periodo foi professora convidada de universidades estrangeiras, latino-americanas, africanas e europeias e orientou dissertações e teses nesses três continentes. Professora convidada de universidades estrangeiras, latino-americanas, africanas e europeias. Membro do Grupo Christine de Pizan (CNPq).

Karine Simoni

É professora do Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras da Universidade Federal de Santa Catarina desde 2010, atuando na Graduação em Letras-Italiano e na Pós-Graduação em Estudos da Tradução. Graduada e Mestre em História, Graduada em Letras Italiano e Doutora em Teoria Literária pela UFSC, realizou Pós-Doutorado na Pós-graduação em Estudos da Tradução da Universidade Federal de Santa Catarina (2010) e na Pós-graduação em Ciência da Literatura, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2019/2020). É coordenadora do Grupo de Estudos Feministas na Literatura e na Tradução (PGET/UFSC). Seus interesses de pesquisa centram-se em história cultural, tradução de textos escritos por mulheres, Estudos de gênero e tradução, estudo e tradução de textos de viajantes italianos(as) no Brasil do século XIX.

Isabel Lousada

Isabel Lousada (n. Lisboa 1962): Possui os graus de Licenciatura LLM (1984), Mestre (1989) e Doutor (1999) em Estudos Anglo-Portugueses. Investigadora Auxiliar de nomeação definitiva da FCSH – UNL; Investigadora Integrada do CICS.NOVA – Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais; Investigadora colaboradora do CLEPUL – Centro de Culturas e Expressões Lusófonas e Europeias da UL. Colabora com a rede WWH – Women Writers in History; Sócia da AEIHM – Asociación Espaola de Investigación de Historia de las Mujeres; Sócia da Sociedade Portuguesa de Geografia – vogal da secção de História da Medicina; Sócia da APE – Associação Portuguesa de Escritores. Membro do Grupo Christine de Pizan (CNPq).

Maria Cristina da Silva Martins

Graduada em Letras – Licenciatura em Português e Latim – pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1991); mestre em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (2002). Realizou pós-doutorado em Filologia Românica na USP (2003-2004) e em Linguística Latina, na Universidade de Paris IV – Sorbonne (2010-2011). É professora e pesquisadora de latim na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e integra o Programa de Pós-Graduação em Letras Clássicas da UFRJ.  Realiza traduções comentadas de autores latinos da Antiguidade Tardia e da Idade Média.  Realizou a primeira edição crítica da Peregrinaçção de Egéria, obra escrita por uma mulher do século IV. Trabalhou com a tradução comentada de algumas cartas de São Jerônimo (séc. IV), especialmente as que revelam o seu método de tradução, mas também o seu envolvimento com as mulheres aristocratas do “Círculo do Aventino”.

Maria Simone Marinho Nogueira

Doutora em Filosofia pela Universidade de Coimbra, Mestre em Filosofia pela Universidade Federal da Paraíba, Licenciada em Filosofia e em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. É Professora Associada da Universidade Estadual da Paraíba e Professora Permanente do PPGLI (Programa de Pós-Graduação em Literatura e Interculturalidade) na mesma Universidade. Atualmente é Coordenadora do Grupo de Estudo Benditas Escritas Transgressoras; Pesquisadora do Apophatiké – Grupo de Estudos Interdisciplinares em Mística (UFF/CNPq) e do Grupo de Pesquisa em Filosofia da Religião (UEPB/CNPq).

Maria Graciele de Lima

Possui licenciatura em Letras e Artes pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN (2003), bacharelado em Teologia pelo Centro Universitário Internacional – UNINTER (2021), Formação em Música pelo Conservatório de Música D’Alva Stella Nogueira Freire (2010), Especialização em Estudos Literários pela Universidade Estadual do Ceará – UECE (2012) e Teoria Psicanalítica pela Associação Psicanalítica do Brasil – APB (2013). É mestra em Letras, tendo desenvolvido pesquisa sobre a poesia de Teresa d’Ávila (UFPB) e é doutora em Letras pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal da Paraíba, com período sanduíche na Universidad de Santiago de Compostela – USC, tendo desenvolvido pesquisa (estudo e tradução) sobre as obras Exclamaciones e Vejamen, escritas por Teresa d’Ávila. É membro dos seguintes grupos de pesquisa: “Grupo Christine de Pizan” e “SACRATUM – Hermenêutica filosófica e literária em diálogo com o estudo do sagrado”, na UFPB, e é Professora Adjunta da área de Linguagens e Ensino, no Departamento de Metodologia da Educação (Centro de Educação/ UFPB).

Fernanda Cardoso Nunes

Possui graduação em Letras (Português-Inglês) pela Faculdade de Filosofia Dom Aureliano Matos (FAFIDAM-UECE) (2002) e mestrado em Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (2007). Atualmente é Professora Assistente da Universidade Estadual do Ceará (UECE-FAFIDAM). É coordenadora do Grupo de Estudos em Literatura de Autoria Feminina da FAFIDAM – GELAFF. É doutoranda do Programa de Pós-graduação em Letras (PPGL) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), na área de Literatura, Cultura e Tradução, linha de pesquisa em Estudos Medievais. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em literaturas de língua inglesa e portuguesa, ensino de língua e literatura inglesa, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de língua inglesa, estudos de tradução, literaturas de língua inglesa, literaturas de língua portuguesa, literatura de autoria feminina, estudos de gênero e literatura medieval.

Mirtes Emília Pinheiro

Doutora em Estudos Clássicos e Medievais, ênfase em Literaturas Clássicas e Medievais, Mestra em Estudos Literários pela FALE/UFMG; bolsista da Capes/CNPq, graduada em História pela FAFICH/UFMG e em Pedagogia pelo Centro Universidade Ítalo Brasileiro, possui especialização em Metodologia do Ensino de História e Ciências da Religião, professora de História na Secretaria de Educação de Contagem/ SEDUC, atualmente participa da Equipe Gestora da E.M. Rita Carmelinda Rocha. Seus trabalhos de pesquisa referem-se à Abadessa Hildegarda de Bingen e o feminino medieval. Participa do grupo de estudos Christine de Pizan e Estudos de gênero na literatura. Tem experiência na área de História e Letras, com ênfase em Literaturas Clássicas, atuando principalmente nos seguintes temas: Hildegarda de Bingen, autoria, feminino, Idade Média, literatura medieval, místicas, mosteiros com artigos e capítulos de livros escritos com esses temas.

Yasmin Andrade

Possui mestrado em Estudos Clássicos e Medievais, da linha de pesquisa em Tradução e Cultura, pelo Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL/UFPB, 2022). É graduada em Letras (Língua Portuguesa) pela Universidade Federal da Paraíba (2019). Atualmente, é integrante do Grupo de Pesquisa Christine de Pizan (CNPq/UFPB). Tem experiência na área de Letras e Ensino, com ênfase em Literatura, atuando, principalmente, nos seguintes temas: literatura, ensino, extensão, estudos medievais, cultura popular e autoria feminina.

Camila Kulkamp

Doutoranda em Filosofia no PPGFIL-UFSC, área de concentração em Ética e Filosofia Política. Mestra em Ciência Política (UFPA). Especialista em Filosofia da Educação (UFPA). Licenciada em Filosofia (UFPA). Bacharela em Direito (CESUPA). Integro o grupo de estudos Germina e o projeto “Uma filósofa por mês”, cujo objetivo é visibilizar a vida e as obras das filósofas e realizar uma revisão feminista da história da filosofia. Integro também o Grupo Christine de Pizan (UFPB). Minha tese de doutoramento aborda a questão das imagens sobre o corpo político e a exclusão das mulheres da política.

Yuri Jivago Amorim Caribé

Yuri Caribé é Professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) desde 2015, onde ensina Literaturas de Língua Inglesa e a disciplina de Estudos de Tradução nos Cursos de graduação em Letras. Atua também no Programa de Pós-Graduação em Letras da UFPE como docente e orientador na área de Estudos Literários (linhas de pesquisa: 2 Comparatismo e diálogos interdisciplinares e 3 Perspectivas culturais, pós-coloniais e decoloniais). É doutor em Letras pela USP (2014), com título obtido no Programa de Estudos Linguísticos e Literários em Inglês, subárea Tradução. Atuou como docente das disciplinas de Teoria e Prática de Tradução (literária e técnica) e Literaturas de Língua Inglesa em faculdades e universidades da cidade de São Paulo (SP, Brasil) entre os anos de 2007 até 2015. Possui experiência como docente e pesquisador nas áreas de Literaturas de Língua Inglesa e Tradução Literária e ainda como tradutor (literário e técnico).

Janyne Sattler

Docente do Departamento e do Programa de Pós-Graduação em Filosofia na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Doutora em Filosofia pela Université du Québec à Montréal (2011), possuindo pós-doutorado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC – 2011-2012). Pesquisadora do Núcleo de Ética e Filosofia Política (NÉFIPO) e do Instituto de Estudos de Gênero (IEG) da UFSC Coordenadora do Grupo de Estudos em Reflexão Moral Interdisciplinar e Narratividade (GERMINA) e do Projeto Uma Filósofa por Mês. Membra do GT de Filosofia e Gênero da ANPOF. Professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Filosofia na Universidade Federal de Santa Maria e na Universidade da Fronteira Sul, em Chapecó. Atua especialmente nos temas seguintes: ética e estética em Wittgenstein; literatura e filosofia; filosofia feminista; estudos de gênero e feminismos.

Ana Rieger Schmidt

Ana Rieger Schmidt obteve seu mestrado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e seu doutorado pela na Universidade de Paris IV – Sorbonne . Atualmente é Professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A sua principal área de investigação é a História da Filosofia Medieval. Atualmente trabalha sobre a importância filosófica do pensamento de Christine de Pizan (1363-1430). Ela se interessa pela recuperação das filósofas e pela expansão do cânone, com foco no período medieval. Publicações: Verbete Christine de Pizan https://www.blogs.unicamp.br/mulheresnafilosofia/cristina-de-pizan/. Projeto Mulheres na história da filosofia: desafios metodológicos (CNPq): https://mulheresnahistoriadafilosofia.wordpress.com/

Graduanda em Letras-Língua Portuguesa pela Universidade Federal da Paraíba (2024). Atualmente, é integrante do “Grupo de Pesquisa Christine de Pizan” (CNPq/UFPB) e, em consonância, é discente bolsistica do PIBIC (CNPq/UFPB) “As fábulas de Marie de France: estudo e tradução”. Seu enfoque de pesquisa e suas publicações estão no âmbito da literatura de autoria feminina, feminismo decolonial, a velhice da mulher e a literatura brasileira, literatura medieval e estudos decoloniais.

Mestre em Letras (2016) pela Universidade Federal da Paraíba – UFPB. Possui graduação em Letras com licenciatura plena em Língua Francesa (2016) e possui graduação em Filosofia (Bacharel e Licenciado 2006) pela mesma Universidade. Especialista em Naturologia – Terapias Naturais e Holísticas (ESTRATEGO, 2021). Desenvolveu sua dissertação de mestrado estudando a autora Christine de Pizan, sob o título: “O alegórico e as vozes antimisóginas como estratégia narrativa em Christine de Pizan: a cidade das damas (2016)”: https://bdtd.ibict.br/vufind/Search/Results?lookfor=o+aleg%C3%B3rico+e+as+vozes+antimis%C3%B3ginas&type=AllFields. Atualmente é professor efetivo de Filosofia na Educação Básica no Governo Estadual da Paraíba e pesquisador do Grupo Christine de Pizan (CNPq/UFPB).

Mestra em Educação — Programa de Pós Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares. MBA em Gestão Pública. Especialista em Língua Inglesa e Direito Previdenciário. Graduada em Letras — Língua Inglesa e suas Literaturas. Bacharel em Direito. Integrante do grupo de pesquisa em Medievalística — Spatio Serti. Professora de Língua Inglesa há mais de 15 anos, atuante em escolas públicas do Estado de Pernambuco e do município de Juazeiro – BA. Apaixonada por Literatura. Interessada em temas relacionados aos estudos medievais, história das mulheres, literatura feminina e questões de gênero. Possui publicações na área de Educação com foco na formação de professores e qualidade de vida dos professores,  análise de contos infantojuvenis e misoginia cultural do período Medieval aos dias atuais. Orientanda do Prof. Dr. Luciano José Vianna.